Fome insaciável? 12 explicações...

Todos nós conhecemos alguém que não pára de comer! Até irrita porque cada vez que está a comer, parece que não come há anos! Ou até somos nós próprios que temos esse problema. Mas há várias explicações (e resoluções) para isso.


  1. O transtorno de compulsão alimentar periódica caracteriza-se pela pessoa não ter controlo sobre aquilo que come e ingere grandes quantidades de comida em pouco tempo. Come vorazmente, arrepende-se mas não vomita. O estudo Psychosocial aspects of obesity and obesity surgery (2001) indica que os principais sujeitos (27 a 47%) são os pacientes de cirurgia bariática.
  2. Todos os alimentos ricos em hidratos de carbono especialmente os com amido fazem "viciar" e dão a sensação de fome. Isto acontece nos alimentos com farinha branca e açucarados que provocam grandes variações nos níveis de glicose/açúcar no sangue e essas quebras provocam a sensação de fome intensa levando a querer continuar a ingerir este tipo de comidas.

  3. Quando se come rapidamente, o estômago até pode estar cheio mas o cérebro ainda não assimulou. Um estudo publicado pela Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism conclui que comer devagar e calmamente facilita a produção das hormonas que conduzem à sensação de saciedade. 20 minutos é o tempos que o cérebro demora a receber a informação de satisfação.
  4. Quanto mais tempo o estomâgo passa vazio, mais "hormona da fome" (grelina; hormona que atua no cérebro dando a sensação de fome) produz. Por isso, não se deve passar das 4h sem comer.
  5. Comer mais proteínas vai prologar a sensação de saciedade e inibir o apetite. Os alimentos com mais proteínas são: soja, feijão, nozes, peixe, aves de criação, carne de porco, lacticínios. magros
  6. O cérebro confunde sede com água por isso, beber muita água vai ajudar a saciar. Se isso não acontecer, é sinal que é fome mesmo e aí tem de se comer seguindo tudo o que já foi dito.
  7. O álcool estimula o consumo de comida com muitas calorias, mesmo quando o estomago está cheio porque desidrata (até causando a sensação referida no ponto 6). Alternar álcool com água.
  8. É do conhecimento de todos que certos medicamentos aumentam o apetite como os antidepressivos e corticosteróides. Conversar com o médico e ler a bula/folheto pode ajudar.

  9. O consumo de gorduras saudáveis é essencial! Ex: proteína, gordura insaturada encontram-se no salmão, em nozes, sementes e no abacate.
  10. É difícil resistir quando se está o dia todo exposto a comida nas redes socias (#foodporn). As imagens levam à produção de grelina relacionada com a fome como foi explicado anteriormente. O mesmo acontece com os cheiros.
  11. Quando está sob stress, o corpo humano produz mais hormonas como a adrenalina e cortisol que levam o cérebro a achar que precisa de mais energia. Reduz também os níveis de serotonina um supressor da fome.
  12. Uma investigação realizada pela Universidade de Uppsala, na Suécia, demonstrou que uma área do cérebro responsável pela sensação de apetite é ativada com mais intensidade depois de uma noite de mau sono. Tudo por causa da disrupção do ciclo normal hormonal. O estudo foi publicado no The Journal of Clinical Endocrinology And Metabolism.
    A vida é bela ou não Garfield... Especialmente quando se engorda demais não é beleza nenhuma 



Sem comentários

Enviar um comentário

Obrigada por alegrares o meu dia com a tua preciosa opinião.

Não te esqueças de carregar no botão "notificar-me" para saberes o quanto aprecio a tua opinião e te respondo.